politica   

Raniery Paulino sobre sua pré-candidatura a prefeito de Guarabira, revelação e denuncia.

março 2019

O líder da oposição na Assembleia Legislativa da Paraíba, Raniery Paulino (MDB), foi entrevistado nesta terça-feira (12) no “360 Graus”, da Líder FM. Diante de seis apresentadores, ao ser indagado pelo radialista Fabiano Gomes, se é ou não pré-candidato a prefeito de Guarabira (PB), o deputado deixou claro que está preparado tanto para ser candidato quanto para ser cabo eleitoral do nome que for escolhido para representar seu grupo político.

“Se eu sou candidato ou não, essa resposta não está em mim. Sinceramente. Não está em mim. Eu cumprirei a missão que me for outorgada. Se a missão for ser candidato, sim. Eu não posso dizer que não. Não me sinto com a condição de dizer que não”, respondeu.

E no decorrer da entrevista, no meio de um debate sobre o futuro do governo João Azevedo, Raniery Paulino declarou que sabe o que é fazer uma campanha sem nenhum prefeito – se referindo a apoio. “Eu sei o que é fazer uma campanha, quando tinha vários parlamentares financiados pela Cruz Vermelha”, acrescentou o parlamentar.

O emedebista também aproveitou a oportunidade para fazer uma revelação e uma denúncia no ar.

“Deixe eu lhe dizer uma denúncia. Denúncia! Eu não fiz essa denúncia em nenhum lugar ainda, vou fazer aqui agora. Quinze dias antes de estourar esse escândalo da Cruz Vermelha, um vereador que me apoia, chegou pra mim e disse: “olha, eu recebi uma proposta de ‘fulano de tal’ (sem mencionar nomes) para ir pro governo e lhe deixar por 15 empregos e uma ajuda mensal que quem vai garantir é a UPA de Guarabira.” Isso é o quê? É cooptação! O que eu estou denunciando aqui é a cooptação”, protestou.

Ao comentar sua vitória, Raniery disse que só venceu a eleição porque entregou seu destino a Deus e ao eleitor paraibano – se considerasse seu mandato relevante para a Paraíba. Ele foi reeleito para o quarto mandato parlamentar. 

Com Blog do Ikeda / Cadernodematerias.com



WM TV